O que é Persona e Como Criar a Sua (+ Exemplos para Confeiteiras)

Para quem você vende? Quem é seu cliente ideal? Com quem você quer se comunicar? Qual tipo de linguagem usar? Resumindo, quem é a sua persona? Se você está aqui, provavelmente não tem uma bem definida ainda. E nesse post você vai aprender o que é persona, como identificar a sua e a importância disso nas suas estratégias de marketing.

Suas estratégias devem estar alinhadas com o seu cliente, certo? Isso torna suas ações muito mais efetivas. Portanto, seu conteúdo deve estar focado na sua persona.

Quando você sabe com quem está falando, consegue atrair mais seguidores qualificados.

Fique ligada até o fim e finalmente tenha sua persona definida!

O que é Persona

Qual a definição de persona?

Dentro do marketing, persona é um personagem fictício com características demográficas, interesses, hábitos, desafios e objetivos baseados em clientes reais. Além disso, também pode ser chamado de avatar ou buyer-persona (buyer = comprador, em inglês).

Quando você cria conteúdo nas redes sociais, posts em blogs, conteúdos em e-mails, ou mesmo em ofertas para o seu público, você precisa ter em mente com quem está falando.

Por exemplo: Você está falando para um adolescente? Mãe de família? Idoso? Com um profissional liberal? Empresário?

Depois que você define quem é a sua persona, a sua comunicação nas redes sociais (e qualquer outro canal) fica muito mais direcionada, sendo capaz de atender e resolver o problema do potencial cliente.

Em outras palavras, sua estratégia de comunicação fica muito mais efetiva, facilitando demais a venda. Por outro lado, quando você cria posts genéricos, o seu engajamento naturalmente vai ser muito pior.

Para criar a sua persona, é preciso fazer uma pesquisa com base nos seus clientes reais. Não é para inventar os dados da sua cabeça. Mais a frente entraremos mais a fundo nesse ponto.

“Mas Bruna, eu vendo doces para pizzarias, supermercados e outros estabelecimentos. Não são pessoas, são empresas (B2B).”

Errado. Seja negócio B2B ou B2C, você está vendendo para pessoas. A diferença é que uma representa uma empresa, e outra não.

Afinal, toda decisão dentro de uma empresa é tomada por uma pessoa.

Persona vs. Público-Alvo

Público-alvo e persona são a mesma coisa? Não. Essa confusão é comum acontecer, mas são coisas diferentes.

O público-alvo de um negócio é representado por uma parcela da população. Ou seja, um grupo de pessoas com características e interesses em comum.

  • Por exemplo: Mulheres de 25 a 45 anos, casadas, que tenham filhos, moradoras da cidade de São Paulo, com renda familiar de R$ 3.000 a R$ 10.000. Estão em busca de uma fonte de renda extra para alcançar a transição de emprego.

Percebe-se que é uma definição mais genérica dos consumidores. Enquanto a persona é como se fosse um representante único desse grupo. Uma pessoa com características específicas.

  • Por exemplo: Rochele, 32 anos, casada, mãe de 2 filhos, técnica de enfermagem. Gosta de passar o tempo livre com a família, em locais ao ar livre, como praia e parques. Sente-se infeliz com a desvalorização da sua classe profissional, e deseja ter uma fonte de renda extra. Ela sabe fazer doces deliciosos, e aproveita para vendê-los nos hospitais em que trabalha. Porém, não sabe como fazer disso um grande negócio.

Você consegue perceber que o público-alvo deixa brechas para interpretações diferentes de quem realmente é o cliente. Enquanto a persona possui características bem específicas.

Além disso, quando você pretende desenvolver relacionamento com sua audiência, você precisa ter um plano de geração de conteúdo constante. E, conhecendo a sua persona, fica mais fácil pensar em conteúdos para postar.

Como se cria uma Persona

Primeiramente, você precisa definir quantas personas você precisa criar. Muitos profissionais criam uma infinidade de personas, pois ficam inseguros ao “resumir” todo o público-alvo numa pessoa só.

Entretanto, você deve fazer exatamente o contrário: criar a menor quantidade de personas possíveis.

Quando você criar muitas, vai segmentar demais a sua comunicação, e tornar a geração de conteúdo uma verdadeira bagunça.

Por exemplo: suponhamos que você venda doces gourmet para eventos e por encomenda para qualquer pessoa que quiser. Nesse caso, você pode ter 2 personas:

  • Uma para representar as empresas que te contratam para preparar os doces para eventos. Marcia, 38 anos, gerente de eventos, casado, tem como objetivo criar cerimônias marcantes, para surpreender os convidados e agradar ao seu chefe.
  • E outra para representar as pessoas físicas. Rosane, 45 anos, mãe de 3 filhos, casada, é servidora pública e gosta de agradar pessoas que ama, presenteando-os com doces maravilhosos.

Depois definir o número de personas, é hora de criá-las. Existem várias informações que podem ser úteis no momento de criar, não existe uma regra.

Entretanto, alguns aspectos são fundamentais para conhecer bem o seu público:

  • Dados demográficos: idade, sexo, profissão, estado civil, residência atual, grau de alfabetização / educacional.
  • Interesses: que programas de TV seu potencial cliente assiste? Quais personalidades ele segue? Que tipo de canal ele se interessa no YouTube? Quais livros ou revistas costuma consumir?
  • Desafios e objetivos: Quais problemas ele enfrenta no dia a dia? Qual grande problema ele quer resolver, e que o seu produto ou serviço pode ajudar? Quais são os seus sonhos e ambições?

Além disso, você pode coletar muito mais informações do que essas citadas. Isso varia de negócio para negócio.

Mas e agora, como coletar todos esses dados? Vamos lá!

Como coletar os dados

Apesar de serem personagens fictícias, as personas devem ser construídas através da coleta de dados, e essa é a etapa mais importante. Afinal, de nada adianta criar uma descrição super detalhada se os dados estiverem errados.

Você pode coletar os dados de 2 formas: uma direta e outra indireta.

A forma direta consiste em fazer uma pesquisa com sua audiência e obter as informações através das respostas que forem fornecidas. Já a coleta indireta é feita pela observação e interpretação dos dados e comportamentos que conseguimos extrair das redes sociais.

Caso você já tenha uma lista de clientes ou audiência no Instagram, pode coletar da forma direta. Ou seja, crie um formulário (pode ser no Google Forms mesmo) e peça para responderem. Outra opção é fazer caixinhas de pergunta nos stories.

É preciso ter a resposta de no mínimo 10 clientes para começar a avaliar quais dados começam a se correlacionar entre eles.

Por outro lado, se você não tem nem clientes e nem audiência, pode observar os comportamentos de seguidores de um concorrente seu. Essa maneira vai lhe fornecer os dados mais imprecisos, sem dúvida. Mas é melhor do que nada. Com o tempo você melhora.

Exemplos de persona para confeitaria

Exemplo 1 – Nicho: Doces Finos.

Juliana Ramos, 28 anos, advogada.

Desde mais nova tem o sonho de ter uma família linda. Agora que está noiva, está preocupada com cada detalhe do grande dia. Como sempre sonhou com o dia do casamento, quer que tudo saia perfeito.

Por isso, quer pessoas especialistas em cada detalhe. E ela não esqueceu dos docinhos.

Dessa forma, está a procura de uma confeiteira especialista em doces finos para que todos os convidados lembrem-se da festa pelo paladar também.

Exemplo de Persona para Confeitaria - Doces Finos

Exemplo 2 – Nicho: Bolos Decorados

Rochele da Silva, 34 anos, técnica de enfermagem.

Trabalha em dois hospitais públicos, em Florianópolis, Santa Catarina. Ela faz turnos de 12/36 horas. Além disso, tem 2 filhos e um “marido para cuidar” (rsrs).

É frustrada com a desvalorização da sua classe profissional, mas não deixa que isso a impeça de alcançar seus objetivos. Sua maior alegria é ver seus filhos felizes.

Ela adora preparar os aniversários dos filhos comprando bolos decorados para tornar a festa inesquecível. Afinal, ver o sorriso no rosto deles não têm preço.

Por isso, procura por confeiteiras especialistas em bolos decorados para não ter problemas de última hora.

Exemplo de Persona para Confeitaria - Bolos Decorados

Enfim, agora você já sabe o que é persona e como criar uma para o seu negócio. Agora você consegue ter uma visão muito mais clara de quem é o seu verdadeiro potencial cliente. Isso vai te economizar tempo e energia focando nas pessoas certas.

Por fim, quando sua audiência é representada por uma única pessoa, fica mais fácil entender suas dores, desejos e necessidades. Dessa forma, você consegue ter mais empatia com os futuros clientes.

Marketing é sobre o seu cliente!

Espero que tenha gostado desse artigo! Sinta-se a vontade para tirar qualquer dúvida através dos comentários abaixo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.